9.9.14

Juras de amor... Entre Amores e amantes











Juramentos de amor se manifestam como verdadeiros juramentos de amor
Somente quando perdem o medo da luz, e se manifestam livremente em pleno meio-dia
Diante dos olhos de todos, sem nada para esconder, sem nada para temer...
Porquanto, enquanto o amor continuar preferindo a escuridão dos lugares secretos
Como lugar ideal para as sua manifestações o amorosas
Enquanto guardar em seu coração terrível medo da luz e da opinião alheia
Enquanto preferir os encontros furtivos nas sombras, ainda não é de fato amor
E a própria preferência dos encontros sempre realizados sob a conveniência das sombras
Testifica severamente – na consciência de cada um - 
Contra as suas declarações de amor mútuo
Sim! Somente quando, tomados pela coragem de amar
Os amantes ousarem escapar da maligna conveniência das sombras que os protegem
E transcenderem as impressões e sensações dos encontros furtivos e escondidos
E se tornam verdadeiros gestos e práticas factuais de amor diante da luz...
Então, quando o medo de amar diante da luz for vencido, e os lugares ocultos
No coração e fora dele, forem deixando para trás
E as juras de amor forem além da mera energia das palavras ditas sem pensar
E se tornam gestos práticos de amor verdadeiro, é que se pode falar de amor...
E nunca antes...

VBMello