14.9.14

Fanáticos e fanatismos...


Verdadeiramente, o amor separado da fé não é amor, é tormento; e isso, para quem ama, e para quem é assim amado. Mais tormento até para quem é amado, do que para quem ama; pois amar sem fé, é amar pela via enlouquecida do fanatismo, isto é, pela via do ódio e da violência, seja violência contra si mesmo, seja violência contra o seu próximo. 



Na verdade, o fanatismo é uma doença da alma que ilude o fanático, fazendo com que ele pense que o seu ódio manifesto contra si mesmo, e contra o mundo, é amor. Sim! O fanático, vestido com a sua couraça de pseudo santidade, tem certeza que ama, e, no entanto, pela natureza maligna dos seus frutos, conhecemos que ele, na ação e na intenção, a tudo odeia...
VBMello