11.3.16

Sobre falar e escrever...















Sobre falar e escrever... (Pois a boca fala do que está cheio o coração)
- - -
Não é necessário procurar inspiração fora do nosso próprio coração
Se Deus, realmente habita o nosso coração
Então, toda inspiração que precisamos, encontra-se dentro de nós
Mais do que ficar pensando no que escrever
O que precisamos mesmo, é cuidar da pureza do nosso coração
Mantendo-o livre de todo tipo de ansiedade e maldade
Porque, quando o coração está livre e puro
Tudo se apresenta a ele como fonte de inspiração
A simples visão de uma flor ou de um pássaro cruzando o céu
Desperta em nós, o espírito e a graça da poesia...
Mais do que o eco do mundo e das coisas ao redor
A nossa escrita deve ser o eco da presença do Espírito
Que vive e pulsa nas profundezas do nosso coração...
Estritamente falando, não existe poesia, existe o poeta
Existe o coração do poeta, de modo que
Poesia, não é outra coisa, senão, o nosso espírito
Naturalmente se tornando verbo, verso e prosa...
Se não houver poesia no coração, nada no mundo será poético
A poesia é o poeta – sem poeta..., não existe poesia...
Portanto, se o coração não pulsar cheio de poesia
Se não houver, verdade, vida e espírito habitando nele
Então, escrever será um sacrifício pesado demais...
Ao invés de lutar com as palavras, saía para dar uma volta
Limpe o coração, que as palavras surgirão naturalmente
Sim, é preciso manter a humildade e a pureza de espírito...
Quanto mais puro o coração estiver, mais as coisas e as pessoas
Se apresentarão a ele, como fonte verdadeira inspiração e poesia
Mas um coração descontrolado, ansioso e dividido, turva a alma
E faz do ato de escrever, e até mesmo do ato de pensar
Um sacrifício estéril, cansativo e pesado demais
O tédio domina a alma. Nada inspira e a pessoa perde um tempão
Lutando para encontrar as palavras certas
Com dificuldade, monta um texto, inventa um sentido
Às vezes, fica bonito, mas não tem alma, não tem vida – não tem verdade
Não satisfaz, não alimenta e não alegra a alma
Pois não é fruto do coração, mas sim, um mero trabalho mental
Fruto da técnica, muito mais do que fruto da própria vida
Meras palavras colhidas aqui e ali, e não verdadeira fala viva do coração
Eu nunca escrevo, quando escrever é um sacrifício
Na medida do possível, procuro manter o meu coração livre
Prefiro o silêncio à companhia de quem só pensa
Nas coisas que o dinheiro pode comprar...
Procuro sempre manter o meu coração
Em estado de completa liberdade, diante de Deus
E deixar o espírito e as palavras, como um rio de água viva, fluírem
Sem lhes opor qualquer tipo de resistência...
Quando isso acontece, não é preciso buscar inspiração em coisa alguma
Pois tudo, absolutamente tudo, se apresenta ao coração como inspiração
Assim, basta seguir o fluxo do Espírito se movendo no seu próprio espírito
Que as palavras fluirão em torrentes constantes e cheias de vida...
Não, não lute com as palavras, nem se deixe vencer por elas
Muito menos, perca tempo andando para baixo e para cima
Ou folheando livros em busca de inspiração
Apenas conserve puro o seu coração
Que as palavras surgirão em torrentes...
Sim, acima de todas as coisas, guarde o seu coração
Mantenha-o livre e sempre na presença de Deus
E então, escrever será fácil, livre e constante...
- - -
Nunca se esqueça, assim como as palavras que você fala
Dependem do estado do seu coração
Pois a boca fala do que está cheio o coração
Também as palavras que você escreve
Dependem do estado do seu coração...
Deste modo, se o seu coração se encontra, dividido e confuso
A sua escrita – necessariamente - será fragmentada e confusa...
Mas, se o seu coração estiver em paz consigo mesmo e com Deus
Então, a sua escrita fluirá tranquila e suave
Cheia de vida e graça, quase sem a sua ajuda...
_VBMello