21.10.15

Tudo morre...












Quem foi que disse
Que os sonhos...
Não morrem?
Tudo que é humano...
Definha e morre
Quem foi que disse
Que homem não chora?
Tudo que é vivo...
Sofre e chora
Como não chorar?
Como não sofrer?
Quando os sonhos morrem
A pele perde o viço
As palavras perdem a leveza
O olhar perde a graça
Os lábios perdem os sorrisos
O coração seca
E a vida chora...
Mas engana-se - quem pensa
Que é preciso derramar lágrimas para chorar
A maior parte das dores
Não precisa de lágrimas para chorar
Existem tantas formas de chorar
Existem tantas formas de sofrer
Há tanta dor oculta atrás de um sorriso
Há tanta noite oculta sob o sol do amanhecer
Ah, meu irmão, meu igual
Os sonhos, quando morrem
Deixam na alma da gente
Feridas abertas - terríveis feridas
Que doem mais do que as feridas
Que a vida abre... na carne da gente
VBMello