26.5.15

Coração, boca, ouvidos e comportamento...











A boca fala do que está cheio o coração
Do mesmo modo, interpretamos
O que vemos, ouvimos – ou lemos
Segundo o que está cheio o nosso coração
Por isso, acima de tudo – a coisa mais importante
Para que a justiça opere no nosso falar, no nosso ouvir
No nosso olhar - e no nosso calar... É guardar o coração
Puro e incontaminado da arrogância, do ódio e da amargura
Pois é da pureza - e da santidade do nosso coração
Que depende a qualidade espiritual da nossa vida
O coração perverso contamina tudo com a sua perversidade
E transforma até a luz dos próprios olhos em trevas
Cega os olhos, endurece o coração, confunde os pensamentos
E ensurdece os ouvidos para a verdade das coisas, e das pessoas
Até que, mesmo a pessoa olhando para a luz de Deus
Só consegue enxergar trevas e caos - Ou, como se diz de Jesus
A encarnação da luz e do amor de Deus para o mundo:
Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam (João 1:11)
No entanto, enquanto o nosso coração permanecer
Guardado na fé, no amor e na graça de Deus
Todo o nosso ser terá luz e vida – e vida abundante
E essa luz cheia de graça e vida resultará necessariamente
Num jeito simples e sincero de enxergar, ouvir e falar com as pessoas

VBMello