14.8.14

Amar é Também Sofrer...

O amor não é uma fórmula matemática. O amor não é um imóvel que pode ser avaliado segundo a estimativa do seu tempo de uso, sua cor, aparência ou o lugar geográfico da sua existência.

O amor é mistério. É sarça ardente que dentro do peito, arde e não se queima, fazendo sagrado o vasto território do coração...

Sim, o amor é mistério, enigma sagrado que por mais que se explique, permanece para sempre inexprimível, como que a insistir que dele só sabe quem o vive, e não quem dele fala, uma vez que, na linguagem humana não se pode encontrar palavras apropriadas para descrevê-lo com perfeição...


E assim, o amor falado será sempre uma ideia superficial demais, que somente encontrará verdadeira profundidade no coração de quem ousar, em todas as dimensões da sua existência, vivê-lo sem medo...

Sim, não é sem motivo que o amor transcende a língua dos homens e dos anjos, porque amor é gesto...

De modo que amar - amar de verdade - é retirar as cercas e os muros que protegem demasiadamente o coração das dores do existir. É existir sem medo de existir, sem receios e sem desculpas...

É abrir as portas da alma e expor o coração às alegrias e dores da vida, e mergulhar de peito aberto na realização do mistério de uma existência plena e total.

Sim, amar é entrar nas dimensões da fé e da esperança, porquanto, amar é ter fé no outro...

Sim, amar é viver uma experiência de eternidade, pois o amor dure quanto tempo durar, será sempre uma promessa de eternidade para quem o vive de peito aberto sem medo de se machucar, porquanto, quem tem medo de se machucar, ainda é muito infantil e não está preparado para amar, e ser amado de verdade... Já que amar, é também sofrer.

E, no entanto, por medo de sofrer, não se deve ter medo de amar, porque acima de tudo, quem ama conhece a Deus, pois Deus é amor.

VBMello