22.4.16

Perseguições...

Às vezes, muitas vezes, vivo dias
Em que cada nervo, cada célula
Cada músculo... O meu corpo inteiro
Implora, grita e insiste para desistir
As perseguições são tantas
As negações, as traições
Os falsos testemunhos...
E há aqueles que te maltratam
Te julgam e te condenam
Jurando que assim estão agradando a Deus...
Nos dias em que a minha alma sofre e desfalece
E a fraqueza da minha carne
Ganha força e poder contra a minha alma
E eu me vejo cercado por ameaça e tentações
Em espírito, eu fujo do mundo
É como se o mesmo anjo que chamou a João
Também gritasse pelo meu nome, dizendo:
Vem... Suba para cá... (Ap 4:1)
Numa oração silenciosa, eu fecho os meus olhos...
Uma porta abre diante de mim
E eu entro por ela; entro e encontro pastagem
Imediatamente, tudo, absolutamente tudo
As perseguições, a frieza dos tratamentos
A indiferença, os falatórios, os olhares oblíquos
Perde a força e vira nada diante da grandeza do Trono de Deus
Aos pés de quem eu deposito os meus fardos existenciais
E me deito, descanso e recupero as forças da minha alma...
_VBMello