8.8.14

VIDA ETERNA...


Os pensamentos, a força, a beleza, a riqueza, os desejos, os projetos e sonhos do homem, por mais sábios, ricos e mirabolantes que sejam, vão - no máximo - até a sepultura, e nada que ele pense, sonhe ou faça, poderá levá-lo para além do seu próprio túmulo...
O túmulo é o limite absoluto a todas as vaidades e pretensões humanas. Nada que é deste mundo sobrevive ao túmulo. Tudo que é deste mundo: riquezas, sabedoria, paixões, pensamentos e desejos, absolutamente tudo, morre no encontro final com o túmulo. Nu o ser humano entra neste mundo, e nu ele sai dele. No túmulo, todo o sentido e significado desde mundo, perde o sentido.

No entanto, Deus tem planos para o além-túmulo do homem... Os pensamentos de Deus para o homem não são pensamentos de morte, são pensamentos de vida eterna...

O Eterno pensa a eternidade como condição natural para a vida do ser humano. De modo que, transcendendo todos os significados existenciais, a eternidade, do ponto de vista de Deus, é o verdadeiro significado da vida humana.

Toda teoria filosófica ou psicológica que não incluir a possibilidade da vida eterna, num momento, ou outro, a menos que o sujeito abdique completamente de pensar, mergulhará o homem - que pensa sobre a vida - nalgum grau irreversível de desespero.

Porquanto, separado da ideia de vida eterna, quanto mais o ser humano conhece a si mesmo, menos a vida fará para ele qualquer significado.

Somente a ideia da eternidade satisfaz a fome existencial do coração do homem. Ou seja, a vida só tem real significado se for pensada a partir da ideia de eternidade.

Portanto, o homem que pensa para o amanhã desde mundo, ou o que, melhor de nós, pensa com vistas ao futuro, ainda pensa muito superficialmente, porque os nossos pensamentos de futuros são absolutamente insignificantes, quando comparados com os pensamentos de vida eterna que Deus tem para nós.

Portanto, pensa bem a própria vida, quem a pensa a partir da vida eterna.

Crê bem, espera bem, ama bem, quem crê, espera e ama a partir do ponto de vista da eternidade, porque se a nossa vida for apenas a vida neste mundo, somos definitivamente seres miseráveis, dos quais o melhor de nós, será sempre, pela lógica do livro de Eclesiastes, aquele que não nasceu, porque é fato que neste mundo nascemos para morrer.

Mas para quem crê, e cultiva a eternidade no seu coração, pensando e vivendo pelas coisas lá do alto, o túmulo não é o fim de absolutamente nada, mas sim o começo de tudo que vive eternamente...

Deste modo, a possibilidade da eternidade com Deus eleva nossos planos, sonhos e projetos, para além da impermanência das coisas deste mundo, mergulhando o nosso ser, desde já, em sonhos de eternidade.

Assim, quem é de Deus não vive apenas para as coisas deste mundo...

Ao contrário, porque Cristo vive, ele pode ter bom ânimo, e mesmo carente e pobre de tudo que é deste mundo, mesmo doente terminal - se for o caso -, pode transcender as dores e aflições do mundo, e sonhar sonhos eternos, e viver esta vida que tem para viver fazendo da sua história neste mundo, um feliz e bem-aventurado projeto de vida eterna... Porquanto, é a vida eterna o que Deus deseja e pensa para todos nós.

VBMello