21.8.14

O Evangelho submeteu tudo ao amor, até mesmo a verdade.

Portanto, cada um de vós deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo Corpo.(Ef 4:25)
- - -
O Evangelho submeteu tudo ao amor, até mesmo a verdade. A verdade é absolutamente importante para o bom desenvolvimento e manutenção dos relacionamentos humanos. É a partir da prática contínua da verdade, que os laços humanos se constroem, se fortalecem e se sustentam. Quando a confiança é perdida e a mentira se estabelece, os laços humanos se enfraquecem, balançam e desmoronam. 

A verdade é o fundamento da confiança entre as pessoas de boa vontade. A mentira, desnecessário dizer, tem a sua inspiração no demônio, que é o pai da mentira. Assim como nada de bom vem do demônio, nada de bom vem da mentira. A mentira espalha a desconfiança, o medo e a ansiedade entre os homens. Uma casa de mentirosos é um lugar satânico demais para se viver, nada floresce, nada frutifica, nada prospera... A verdade é essencial para o bom desenvolvimento da vida, da confiança e da paz entre as pessoas.

Entretanto, não é porque a verdade é importante, que ela pode ser dita de qualquer maneira. Tão importante quanto a verdade é o espírito com que ela é dita. Falar a verdade não é falar a o que vem na cabeça. Não é impor no grito e na marra a sua própria opinião ou vontade. Falar a verdade não é tentar se dar bem em cima das fragilidades dos outros. A verdade exige o respeito - e a manutenção - dos direitos dos outros. Com a intenção perversa de ser dar bem, humilhar, desqualificar ou destruir alguém, até o diabo fala a verdade.

A verdade que tenta se estabelecer pela força, pela humilhação e pela submissão do outro, pode causar – e causa - tanto estrago nos relacionamentos, quanto a mentira. Autoritarismo, indiferença, ódio, vingança, interesse próprio, e coisas semelhantes a essas, são coisas que não combinam com a verdade. Jesus, a verdade encarnada, era manso e humilde de coração.

Portanto, ainda que eu fosse a pessoa mais verdadeira do mundo, e não mentisse jamais, mesmo assim, se ao abrir a minha boca para dizer a (minha) verdade, eu a gritasse com autoritarismo e sem amor, deixaria após mim, um rastro de ódio, frustração e desilusão. Porque a verdade dita sem amor, gera ódio, raiva, confusão, desunião e fragiliza e destrói os laços humanos, tanto quanto a mentira. 

Somente a verdade dita com espírito manso e coração humilde, solidifica os laços humanos. Somente a verdade dita com amor, une as pessoas. Somente a verdade dita com amor, cria um ambiente de paz e confiança mútua. 

O resto, a verdade berrada, resmungada, adulterada, fofocada ou dita com ódio, autoritarismo ou indiferença, falada mais por vingança do que por amor, tanto como a mentira - ou até mais do que a mentira - espalha o caos, devasta o coração e arrasa a união, a paz, a amizade e a confiança entre as pessoas...

O objetivo da verdade é desfazer mal-entendidos e não os criar. O objetivo da verdade é acender uma luz, promover o diálogo e não humilhar e emudecer as pessoas. Aquele que vive, existe e se move a partir da fé em Deus, jamais diz a verdade sem amor, pois Deus é amor. A verdade que nos faz filhos de Deus é a verdade dita com amor. Sem amor, a verdade é só mais uma ferramenta do diabo. 

De preferência, a verdade é algo que se fala olhando nos olhos do outro, não com atitude de ameaça, mas de confiança, serenidade e paz. A verdade não deve ser dita como quem ruge ao derredor. É o diabo que anda rugindo ao derredor. 

Assim, o modo rude e grosseiro com que muitas vezes falamos a verdade, usando-a muitas vezes como ferramenta de vingança, jogando-a na cara do outro, sem escolher o tempo, a hora e o lugar certo de dizê-la, mas falando-a de qualquer maneira, em qualquer tom grosseiro e violento de voz, e ainda assim, nos achando verdadeiramente dignos porque em todas as ocasiões, falamos somente a verdade, de algum modo, nos coloca ao lado do diabo e do mentiroso. Isso é algo que não cai bem num filho de Deus, usa a verdade para machucar as pessoas. Isso é coisa do diabo.

Agindo assim, furtamos ao espírito da verdade o amor com que ela pede para ser dita. O amor não é violento, o amor não é precipitado, o amor não é vingativo. O amor é, acima de tudo, amigo, calmo, suave, humilde e tranquilo. Tudo que nasce do amor, amor é. Tudo que nasce do amor, se manifesta com gentileza e bondade. Tudo que nasce do amor, pensamentos, atos, palavras, o que for, quer o bem das pessoas.

O amor quer o bem-estar do outro. Mas a verdade dita com ódio, não visa o bem-estar de ninguém, não visa a sua redenção ou amizade, Visa, isso sim, destruí-lo, humilhá-lo, envergonhá-lo e afastá-lo do nosso meio. É isso.
_VBMello